Header Ads

Image and video hosting by TinyPic

Vereadora Célia Cardoso de Arcoverde denunciada por prática de nepotismo

O vereador Luciano Pacheco, da bancada do PSD na Câmara de Arcoverde, a 250 km do Recife, subiu à tribuna, ontem, para acusar a colega Célia Cardoso, do Partido Republicano (PR), por prática deslavada de nepotismo, promovendo também viagens com diárias do Legislativo.

Segundo ele, Célia mantém em seu gabinete o advogado Paulo Galindo, que é seu namorado, uma a nora, que nunca deu um só dia de expediente e até uma empregada doméstica com cargo comissionado.


De acordo com o vereador, Célia fez recentemente uma viagem à Curitiba com o namorado às custas da Câmara. Em seu discurso, Pacheco exibiu fotos em um telão onde aparecem a vereadora e o namorado no estacionamento do Shopping Rio Mar, no Recife, usando uma Chevrolet S-10, da frota da Câmara de Vereadores.


Confira áudio da ultima seção dia 18/05

 Célia diz que nepotismo é com Luciano.

Em relação a postagem “Vereador acusa colega de nepotismo” publicada em seu conceituado blog, esclareço que:

1)      Sou formada em Direito, empresária e a primeira mulher a ser eleita vereadora em todo o sertão do estado e exerço o meu sétimo mandato legislativo em Arcoverde.  Minha atuação parlamentar sempre foi pautada pela honestidade, coragem, pela ética e pelo compromisso com o povo de Arcoverde.

2)      Lamentavelmente o colega vereador, no ápice de seu desespero, abdicou do exercício do bom debate e passou a me agredir sistematicamente, talvez movido pela inveja ou pela vontade desesperada de galgar cargos maiores, custe o que custar, como se os fins justificassem os meios.

3)      No auge do seu desespero disse que se alguma coisa acontecesse a ele, não ficariam ninguém vivo, até os que ainda não nasceram. Gratuitamente escolheu a mim, vereadora representante das mulheres na UVP, mãe e avó, como alvo para tentar aparecer na mídia e se projetar.

4)      Sua revolta é antiga, mas se acentuou desde 2012, por ter tido menos votos do que eu e por eu ter sido a vereadora mais votada na área urbana de Arcoverde nas últimas eleições.

5)      Ele está inconformado por não fazer mais parte do governo Madalena, pelos motivos que não quero adentrar aqui. Simplesmente não consegue assimilar que defendo um governo popular e que muito já fez para o povo de Arcoverde.

6)      Está frustrado por ter sido preterido duas vezes para eleição majoritária em Arcoverde, por ter desistido de uma candidatura a prefeito por falta de apoio político, por ter sido derrotado numa eleição para deputado estadual, vendo agora um colega vereador se eleger deputado e por ter dado o beijo da morte na candidatura de Biu Farias, na ocasião em que disputou a vice presidência da UVP, afastando votos que fizeram a diferença na eleição da chapa vitoriosa que participei com representante das mulheres da UVP.

7)      Querendo impor seu nome para a eleição que se aproxima, fica fazendo pirotecnia  mostrando as ruas que estão sem calçamento na cidade, como se fosse invenções do governo Madalena. Agora como paladino da verdade vem falar de nepotismo, como se os cargos na Câmara municipal fossem indicações minhas. Na verdade são  nomeações de livre escolha do presidente da Casa James Pacheco. Sua revolta se deu por conta de uma postagem que fiz em que mostro pela rede social Facebook que sua esposa Janine Bezerra está lotada no gabinete do deputado Júlio Cavalcanti.

8)      Sobre o bacharel em Direito Paulo Galindo, citado na reportagem, esclareço que ele realmente já fez parte do quadro de servidores nomeados pelo presidente da Câmara, podendo acompanhar os parlamentares em viagens ou atividades correlatas ao exercício da vereança. Já sobre o uso do veículo da Câmara e a visita ao Shopping, custa informar que como vereadora posso usar o referido carro e estando com ele posso almoçar onde desejar. Destaco ainda que nas ocasiões em que utilizo o citado veiculo, o abasteço com recursos próprios. Sobre a viagem para Curitiba informo que tratava-se de um congresso de vereadores, assessores e servidores de câmaras municipais. O próprio vereador inúmeras vezes também participa de encontros, congressos e seminários em vários estados do Brasil, tendo ido inclusive a Foz do Iguaçu.  O nobre vereador deveria fazer referências ao seu motorista particular que é cargo de confiança da câmara e ele próprio, o vereador Luciano Pacheco, que há cerca de vinte anos recebe salário da prefeitura de Arcoverde, sem nunca ter dado expediente, na condição de cedido ao Poder Legislativo. Aqui fica a indagação: Onde ele dá expediente?

9)      Suas ilações são irresponsáveis, inverídicas e eivadas de inveja. Sou uma mulher digna e honesta e jamais usaria o expediente do anonimato ou da mentira para atingir objetivos. Dos poucos assessores que disponho, todos prestam as suas atividades laborais.

Grata

Vereadora Célia

Fonte:blog do Magno.

Nenhum comentário

Juliano Cesar. Tecnologia do Blogger.